Três anos haviam se passado… há três anos, eu sonhava com ele voltando todas as noites. Eu o perguntava, surpreso e maravilhado, “Você não havia morrido? Você não está morto?” Três anos depois, eu ainda sonho o mesmo sonho. O que há de diferente é que, durante o sonho, eu fico dizendo a mim mesmo que isso não passa de um sonho, até que eu acorde.

O clima em Vancouver é tão agradável, sempre ensolarado com uma brisa refrescante, diferente do vento poeirento e da umidade de Beijing. Toda manhã quando acordo, eu me pergunto “onde é esse lugar?”. Olhando para as lindas folhas de bordo oscilando ao vento e a jovem mulher dormindo ao meu lado – minha nova esposa-, eu deixo escapar um suspiro, me deito e continuo minhas lembranças em forma de sonho… Eu costumava ser algo como um playboy – filho de um oficial de alto escalão do governo, mas do tipo bem educado. Depois de me formar no ensino médio, fui admitido no departamento de Chinês de uma famosa universidade.

No meu segundo ano, comecei uma empresa de médio porte com alguns amigos. Após me formar na faculdade, eu consegui pegar um empréstimo de valor razoável e estabeleci minha própria firma comercial. Os negócios estavam fantásticos, ainda mais com as negociações com as nações da Europa Oriental. Cinco anos depois, apoiado por meu influente pai e também por conta de minha própria sabedoria, a empresa acumulou mais de 100 milhões de yuan. Eu completei 27 anos naquele ano.

Eu nunca havia pensado em me casar até então. Não tinha um parceiro sexual fixo, independente do gênero. Comecei a namorar garotas no meu primeiro ano. Eu ainda me lembro da primeira garota que foi para a cama comigo. Ela era dois anos mais velha que eu, uma mulher jovem e linda, com olhos nem muito grandes nem muito pequenos, sobrancelhas pretas e longas, e um adorável nariz reto. As duas covinhas que surgiam quando ela sorria despertavam meu desejo de mordê-la.

Nossa primeira vez aconteceu no meu quarto. Naquele dia, nós faltamos aula. Eu pedi para que a empregada saísse e guiei a garota até minha casa. Ela parecia animada. Nós começamos a nos beijar. Então, eu tentei sentir embaixo de seu vestido. Ela não pareceu se importar e continuou a me beijar de volta de forma devotada. Quando minhas mãos foram para seus seios, finalmente, ela franziu as sobrancelhas um pouco e tentou me empurrar de forma hesitante. Meu coração estava batendo fervorosamente e eu fui incapaz de me controlar. Sua recusa pareceu me dar um incentivo extra. Eu murmurei besteiras como “eu te amo” e “eu vou me casar com você” e apressadamente arranquei seu vestido e minhas calças. Ergui suas pernas e tentei três ou quatro vezes colocar minha masculinidade dentro dela, mas apenas consegui com a sua ajuda. Lamentavelmente, uma vez dentro, eu não sabia o que fazer em seguida e ejaculei. A garota chorou. Não sei se foi de felicidade ou arrependimento. Eu pensei que todas as garotas choravam depois de ter sua primeira vez. 

Só foi após um ano, quando eu já estava experiente em sexo, que eu reconheci que não fui seu primeiro, talvez nem seu terceiro ou quarto. Comecei a me cercar de garotas frequentemente. Minha maior dor de cabeça não era saber como conseguir as garotas, mas como me livrar delas. Eu estava meio cansado desse tipo de garota, essas que se convenciam que iam se casar comigo e ficariam comigo pelo resto de suas vidas. Por um tempo, eu tive medo das mulheres. Foi nessa conjuntura que um amigo do “círculo” me apresentou a um garoto, ele era cantor em um bar. E assim eu comecei a me divertir de uma nova maneira.

Faz muito tempo. Eu não lembro seu nome. Mas sua imagem ainda é vívida. Ele era branquinho e fofo de certa maneira. Ele disse que estava na casa dos vinte anos, mais velho do que eu. Mas parecia ter apenas 18 ou 19. (Nesse jogo, é um tabu ainda maior perguntar a idade de um garoto do que é perguntar para uma garota.). A única coisa que me incomodava sobre ele eram alguns “sinais de beleza” em seu rosto. Nós nos encontramos no bar em que ele trabalhava. Eu pedi duas músicas para ele. Ele falava bastante, mas também era um pouco tímido. Depois que o bar fechou, nós fomos para sua casa. Ele ficou conversando comigo durante o caminho, o que me fez parecer meio passivo. Era evidente que ele estava muito atento e se esforçou para conseguir uma resposta minha.

Sua casa não era nada ruim. Era um loft de um quarto e sala, com pouca mobília. A limpeza de sua casa me lembrou do sujo dormitório para oito pessoas e do meu próprio ninho.

-Meus pais me deram para meu casamento. -Disse com um sorriso e fixou seus olhos em mim. -Eu preciso tomar um banho primeiro. O cheiro do bar é forte com todos aqueles estranhos. Você quer…?

-Eu vou esperar! -Meu tom soou um pouco mal educado. Na verdade, eu estava tentando esconder meu medo. Não havia me ocorrido que era mais difícil ir para cama com um garoto do que com uma garota.

Em pouco tempo, ele saiu do banheiro, apenas vestindo sua cueca. Ele estava em boa forma. Eu não reparei que seu cabelo ainda estava seco. Ele se trocou em o que pareceram segundos, ficando em silêncio e, gentilmente, começou a me tocar em todos os lugares. Lentamente, ele tirou minha camisa e beijou todo o meu corpo, movendo suas mãos em minhas calças. Eu não ousei respirar, mas fiquei genuinamente excitado.

Não sabia porque eu ainda estava sentado lá, de forma rígida. Ele parece notar também. Então ele parou, ergueu sua cabeça e me olhou nos olhos ternamente, mas desamparado. Deus, eu nunca tinha sido estimulado assim antes. Ele elevou todos os meus desejos e sentimentos: afeto, pena, impulso de conquistar, até mesmo crueldade. Brutalmente o empurrei na cama e senti todo o seu corpo. E que corpo aquele era – jovem, liso e resiliente, completamente contrário a maciez de uma mulher. Ele me ajudou a tirar minhas calças. Minha ereção, feia e grossa, praticamente pulou para fora quando minha cueca foi arrancada. Ele sorriu.

-Tão grande? -Ele começou a trabalhar com sua boca.

Eu continuei a respirar pesadamente e, inevitavelmente, fechei meus olhos. Aquilo era tãooo incrível! Eu já havia pedido para garotas fazerem isso para mim, mas todas ficaram apreensivas. Elas ou paravam logo após algumas tentativas ou seus dentes tocavam meu pênis de forma desconfortável. Ele ainda estava chupando meu pênis em todas as direções enquanto tocava o próprio.

-Vou gozar. -Gritei.

Ele não parou de se tocar, mas adicionou sua outra mão no meu pênis. Eu não pude me segurar mais e jorrei uma grande quantidade de esperma. Eu nunca estive tão maravilhado – sem obrigações, completo prazer.

Logo depois, eu percebi que sua virilidade ainda estava ereta. Eu senti um pouco de pena, mas não queria lhe pagar um boquete de volta. Entretanto, ele não parecia se importar e, pacientemente, colocou uma das minhas mãos em meu pênis mole enquanto uma de suas mãos foi para seu ânus. Ele começou a massagear lá e estava ficando excitado. Seus músculos pareciam estar tremendo de cima a baixo, acompanhados por gemidos quase femininos. Minha outra mão se juntou a dele para o ajudar a massagear seu ânus. Ele continuou balançando seu corpo, gemendo e respirando pesadamente até que explodiu.

Mais tarde, ele me disse que eu fui o melhor garoto com quem ele já dormiu. Seus outros “amigos” tinham melhores habilidades, mas ele sentiu mais prazer ao brincar comigo. Não sei porque não fiquei feliz em ouvir aquele elogio. Me fez sentir como se tivesse dado meu corpo virgem para uma dessas “cafetinas” e “cafetões”. Eu decidi reparar o erro imediatamente e brincar mais. Com a mentalidade de brincar e o crescente dinheiro em mãos, eu não tive problemas em conquistar uma longa lista de “parceiros de brincadeiras”, até que conheci Lan Yu.

Aos 27 anos, parecia que eu havia conquistado tudo que desejava na vida e eu era muito arrogante. Fora do trabalho, eu passava todo meu tempo socializando com amigos e amantes. Naquela manhã em particular, depois de uma bem sucedida negociação, eu estava me perguntando o que faria a noite quando Liu Zheng entrou. Ele era diretor associado do escritório de administração geral. Nós meio que crescemos juntos.

-Hey, eu vi o garoto russo ir embora infeliz essa manhã.

Ele sorriu para mim.

-Ele queria montar mais em mim. Suas habilidades na cama são limitadas. Eu não devo mimá-lo. A propósito, vou ao boliche essa noite no “Imperial Capital”. Quer se juntar a mim? – perguntei cuidadosamente.

-Por que você não convida Hao Mei? Ela me ligou esta manhã e mandou um oi para você.

-Esqueça, compre-a uma bolsa ou algo assim por mim. Não deixe que ela me ligue o tempo todo.

-Entediado de novo? -Liu sorriu malandro. -Vamos falar sério. Eu conheci um garoto outro dia, no World Trade Center. Ele veio para Beijing esse ano, para a faculdade. Parecia perdido. Interessado?

-Nem fale nisso. Eu estou cheio de garotos e garotas agora. Como você sempre consegue encontrar esse tipo de pessoa? Eles são limpos? Isso é doentio. -Eu disse com um sorriso.

-Ele é bem puro. Definitivamente não é do “círculo”. Recém completou 16 anos. Calouro na faculdade. Eu suponho que ele precisa de dinheiro desesperadamente. Ele não diria nada. De qualquer maneira, ele está faminto por dinheiro.

-Ele poderia ser um trapaceiro? Pode ser alguém que trabalhe com construção vindo de outra província. Não há muitos desses trapaceiros em Beijing agora?

Liu não discutiu comigo sobre isso, e passamos a falar sobre o novo intérprete russo não ser honesto. Liu é dois anos mais velho que eu, mas nós nos formamos no ensino médio no mesmo ano. Das séries iniciais ao ensino fundamental, nós fomos colegas. No ensino médio, continuávamos na mesma escola, mas eu estava na turma de Ciências Sociais enquanto ele estudava na turma de Ciências Naturais. 

Ele não teve tanta sorte nos vestibulares e acabou em uma faculdade Normal¹. Depois da graduação, ele não queria ser um pobre professor de ensino médio. Então veio me pedir ajuda. Mesmo não precisa de um professor de física, eu o tratei com um velho amigo e ofereci a posição de Diretor Associado. Não há tarefas específicas para ele cuidar. Só preciso dele como informante. Além disso, eu preciso dele para encontrar “diversão” para mim. O que eu mais gosto sobre ele é que ele é inteligente e leal. Ainda mais, ele é descontraído e não é invejoso. Também é bem decente no sexo, mas me tolera sendo indecente.

-Tudo bem, é isso. Eu vou te procurar no “Imperial Capital” hoje a noite. -Ele disse e estava prestes a sair.

-Hmm… traga o garoto junto se você achar que ele é ok.

-Tudo bem. -Liu sorriu.

-O que você pretende dizer a ele?

-Eu vou apenas dizer que o Gerente Geral Chen precisa de companhia. Eu sei como chegar nele. $1000².

-Tão barato! É melhor que ele esteja limpo.

-Se acalme. Ele é 100% virgem. Talvez ele tenha medo que você não seja limpo.

-Vai se fuder. -Eu disse com um sorriso.



1- Faculdade Normal: em muitos países, China inclusa, “faculdade normal” se refere a faculdade que forma professores de nível escolar.

2- Nos valores atuais, 1 yuan vale 0,76 centavos de real então 1000 yuans equivalem a cerca de R$763,90