Prólogo:

O décimo quinto ano do governo do imperador Rui Wen do Grande Rui. Murong, dominador do clã do Grande Yan, no norte, atacou e iniciou uma guerra. Lin, dominador do clã do Grande Rui, nunca tinha reforçado as forças armadas, e com um exército mais fraco, suas tropas foram empurradas até o sul até o South Hill Pass, que serviu como última linha de defesa para a morte do Grande Rui. A última batalha fatal parecia iminente


CAPÍTULO 1


Eu acordei de uma dor insuportável.

Eu abro meu olhos; ainda é a mesma velha viga do telhado. Há uma pequena janela de um lado e o céu que aparece através dela é dividido em fragmentos por barras de metal. Alguns feixos de luz serpenteiam através da janela, mas ainda assim, está estranhamente escuro dentro da cela da prisão.
Eu tento soltar um pouco, mas o menor puxão envia uma dor insuportável às minhas costas. Sibilando, eu caio frouxamente no feno molhado e olho para a viga. Ratos e baratas deslizam ao meu redor. Eu olho para eles, dou uma grande suspiro e fecho meus olhos de novo.

Se não fosse pelos ferimentos, eu diria que este lugar é realmente um pouco melhor que o galpão sombrio na casa do tio.

Existem alguns caldeiras aqui, mas ainda está arrepiando até os ossos. Eu tremo um pouco porque as roupas rasgadas pelo chicote não protegem do ar gelado. Depois de lutar para levantar minha cabeça, percebo que uma fina camada de gelo se formou em mim e está rachando em pequenos pedaços enquanto tremo.

Não há como saber as horas nessa cela, mas eu diria que é manhã, julgando pela luz vindo das janelas.

Dói em todos os lugares como se eu tivesse sido rasgado em pedaços. Parece que minhas costas estão em carne viva. Até a respiração mais superficial puxa as feridas, me fazendo estremecer dolorosamente. Eu inspiro o ar frio e fico imóvel, observando calmamente os raios dourados brilhares pouco a pouco entre as barras e se espalharem pela parede em pequenos pontos brilhantes.

Eu estou preso por mais de dez dias e tem sido interrogatório torturante, quando não, essa cela úmida da prisão, acompanhada de amontoados de criaturas, comida fria e mofada e noites congelantes sem dormir.

Oh, Imperatriz Dowager, sua santa graça que governa nossa nação com sua insubstituível excelência e o peso da responsabilidade de nosso povo descansam seguros em suas mãos. Nem mesmo o rio sempre fluindo pode ser comparado ao respeito e admiração que tenho por Sua Graça. Então, Sua Graça, por que diabos você me colocou no exército e esbofeteou o título de Vice-General em mim, quando Sua Graça sabe claramente que sou aquele que faz mais mal do que bem? Agora você conseguiu, Sua Graça. Eu fui capturado por um erro e preso pelas tropas Yan, sem sequer sentir o menor sabor da vitória. 

Eu ficaria bem sendo apenas um prisioneiro comum, mas eu tinha que ser o Vice-General que serve sob o General! Os oficiais Yan pareciam ter ganho um almoço grátis, me batendo a cada dia na esperança de obter informações sobre as táticas de defesa do exército Rui. Oh, Imperatriz Dowager, Sua Graça, por favor diga-me como eu poderia saber alguma coisa sobre essas secretas forças militares importantes, quando o General Zhou nem se incomoda em me olhar nos olhos.

Pode até não haver ossos para você enterrar depois de quinze dias disso, se a Sua Graça não vier me pegar logo.

São necessários todos os meus esforços para inclinar minha cabeça para o lado. Abro os olhos um pouco e vejo uma tocha queimando fracamente entre gravetos grossos de madeira, como se todo o combustível tivesse acabado. Isso é exatamente o que eu sou – eu sorrio amargamente. Perdi meus pais jovens e nenhum dos meus parentes se importa comigo, não meu avô, não meu tio. Então sou jogado no campo de batalha contra a minha vontade, e agora acho que estou meio morto por causa do interrogatório.

Como diabos um soldado que não conquistou suas patentes deve saber sobre algum plano de defesa?

Passos pesados interrompem meus pensamentos, e logo dois guardas volumosos aparecem na minha frente. Aquele na frente, com barba e bigode, franze a testa e dá alguns passos em direção à cela.

“Você! Acorde! Seu sono falso não me engana”, ele late enquanto bate uma vara de madeira na fechadura de aço.

Fico imóvel no chão úmido, como se não tivesse ouvido nada, nem sequer pestanejando. Eu não quero falar, mas mesmo que eu quisesse, não podia. De repente, sou levantado pelo colarinho do que resta da minha camisa. Apanhado de surpresa, luto um pouco e todas as feridas nas minhas costas se abrem instantaneamente, mas ainda sorrio com desdém mesmo que seja tão doloroso que meus músculos começam a tremem.

“Não se preocupe. Nós não vamos deixar você morrer tão facilmente!”

O guarda na minha frente parece bravo quando ele arranca minha túnica de batalha do meu ombro.

“Nosso General pergunta mais uma vez: você vai cooperar conosco ou não?”, ele exige.

Dou de ombros e inclino minha cabeça para longe do odor desagradável que vem da boca dele.

“Eu já respondi a essa pergunta. O seu General não tem nada melhor para fazer?” Eu respondo.

O outro guarda se aproxima e zomba: “Há um ditado do seu país: ‘Um homem sábio não luta quando as probabilidades estão contra ele’. Nosso exército está destruindo suas defesas. Sem mencionar que nosso imperador possui uma sabedoria, que aposto que não encontraremos em seu país e em Sua grandiosidade, seu nobre coração perdoará seus feitos passados. O que você ainda está esperando?”

Eu rio. “Também temos um ditado que diz: ‘O destino do país depende de cada cidadão’. Tlavez eu não tenha feito grandes contribuições, mas ainda tenho minha dignidade e orgulho. Seja o que for que tenha pra mim, basta trazê-lo”

“Esse idiota não sabe apreciar nossas ofertas”, o guarda na minha frente cospe em mim. “O relatório mais recentes diz que os avanços já atravessaram o South Hill Pass e não demorará muito para que cheguem à capital Rui! Mesmo com sua estúpida lealdade, seu Grande Rui não está indo tão bem.”

“Bem, isso não é estranho?”, desdenho, “Se o exército Yan pudesse atravessar o South Hill Pass, porque você precisaria que eu lhe dissesse os planos de defesa do Grande Rui em torno da área de Rope Hill Creek?”

Olho para cima a tempo de ver a inquietação brilhando em seus olhos, mas em um piscar de olhos eu sou violentamente arrastado para cima novamente. As feridas nas minhas costas estão me matando.

“O que fazemos se ele não ceder em breve? Sua Alteza, o príncipe herdeiro está chegando em breve.” O barbudo murmura para o outro.

As sobrancelhas do último estão franzidas em um nó, os olhos disparando entre mim e o barbudo. De repente, um olhar brincalhão aparece em seu rosto.

Ele diz calmamente, “Ei, agora não é temporada de tempestade de areia?”

Barbudo permanece quieto por um segundo, depois se vira e ri para mim, “Seu pedaço de merda, aquelas chicotadas da semana passada, são de longe um dos tratamentos mais agradáveis que você terá. Você parece o tipo forte e corajoso, então que tal fazer uma pequena viagem?

Antes que eu perceba, estou sendo arrastado para fora da prisão, mas me forço a não mostrar nenhum sinal de medo, mesmo que minhas pernas pareçam espaguete.

O sol escaldante da tarde assa o deserto, lutando entre camadas de areia voadora. Alguém me empurra para o chão em chamas e algema minhas mãos e pés. Uma extremidade está presa a uma barra de ferro. Alguém dá um tapinha na minha cabeça e sai com um sorriso de escárnio.

O sol bate em mim sem nada em seu caminho e me faz sentir como um churrasquinho deixado para cozinhar em carvões vermelhos brilhantes. Os raios são como agulhas douradas, picando meu corpo sem qualquer limitação. Uma onda de dor bombardeia meus sentidos, iluminando eu interior em chamas. O suor escorre pela minha pele e um sabor salgado entra na minha boca.

O clima no deserto muda de forma irregular. Pode ser um lindo dia de sol, quente como o inferno, e no próximo momento pode se tornar uma bagunça de tempestade de areia e pedras explodindo para bater em você, batendo no seu lindo rostinho. Sem mencionar que vai esfregar em suas feridas recém cicatrizadas, fazendo você se contorcer em uma dor inexplicável.

Boca mais seca que o deserto, corpo em chamas, feridas prestes a se abrir novamente, eu deslizo entre consciência e inconsciência. Começo a perder os sentidos enquanto sou assado pela dor. Os sons ao redor desaparecem dentro e fora. 

Em meio ao borrão da consciência, eu rio.

Han Xin, pobre companheiro, esteve nesta terra por boas duas décadas e ninguém pôde se preocupar em querer saber sobre você. E agora você vai morrer aqui em algum deserto desolado sem ninguém para te vigiar.

Imperatriz Dowager, tenha certeza de Sua Benevolência, mesmo que tenha sido você quem me enviou ao maldito exército, eu não te assombraria se eu morresse. Sua Graça pode ter certeza e viver uma vida agradável, próspera e ter muitos netos…

E tio, mesmo que você nunca tenha me mimado, você nunca me abusou. Bem, além de me trancar no galpão de vez em quando. Você também pode ter certeza. Seu querido sobrinho definitivamente não iria assombrá-lo, então continue sendo Ministro Pessoal¹.

E primo –

De repente, mergulhei em algo frio. Abro os olhos com um sobressalto e percebo que estou encharcado. Eu olho por toda parte tentando descobrir o que diabos aconteceu e outro balde de água vem caindo. Está tão frio que estou tremendo como um cachorro molhado, mas consigo abrir meus lábios secos e engolir alguns goles enquanto limpava meu rosto;

Sentindo meus sentidos retornando um pouco, soltei um suspiro profundo.

Quem é esse cara legal que está me dando o elixir da vida quando estou prestes a morrer?

“Este é o Vice-General de Rui que você fala?” uma voz fria e hostil me atinge de cima

Eu lentamente levanto minha cabeça, apenas para encontrar um par de olhos negros e gelados.


¹Mais alto comando no Ministério Pessoal, cujo trabalho é semelhante ao de um gerente de recursos humanos nos dias atuais.