+18

Ponto de vista do Pete

Naquele momento eu quase pulei do meu lugar.

Eu estava encostado na porta enquanto ambas as minhas mãos estavam ocupadas trabalhando em sintonia em ambas as partes mais sensíveis do meu corpo.

DEUS!!! O que eu estou fazendo???

Uma das minhas mãos está dentro da minha calça e a outra dentro da camisa, acariciando meu mamilo.

Alguém está vendo meu coração? Eu acho que ele saiu pela boca e caiu em algum lugar do chão no momento em que ouvi Ae batendo a porta.

Meu corpo está tremendo de medo só de pensar na reação de Ae caso ele entre e me veja fazendo isso.

– Estou com sede, posso pegar um pouco de água? – Ele perguntou do outro lado da porta.

Eu só consigo responder ele com minha voz trêmula.

– K … Khrub … Pode pegar … Ahh … – Como eu queria me fazer parar, mas toda vez que eu me dava conta de que Ae estava ali, logo atrás da porta, isso me deixava mais excitado. A mão que eu usava para segurar firmemente a parte rosada dentro da minha calça estava indo e vindo mais firmemente e chegou num ponto em que eu não conseguia me impedir de gemer alto.

– Você está bem? Sua voz está estranha.

Oh não! O que eu deveria fazer? A voz de Ae está me excitando mais e mais.

Pare com isso Pete … Você tem que parar com isso …

– N … Não … Khrub … Err … Ah … Eu … Não … – O que eu acabei de falar é uma completa negação ao que minha mão está fazendo com meu corpo agora. Minha mão continua se mexendo sem parar o que vai deixando minhas pernas cada vez mais fracas.

A luxúria invadindo meu corpo parece finalmente estar chegando ao seu limite.

– Hei … Sua voz está bem estranha. Você está chorando Ai’Pete?

– N … Não … Eu n … Não … Khrub … Ah … Ae … Não …

Mais rápido Pete … Rápido … Você já está acabando …

Eu apenas murmurei essas palavras para mim mesmo repetidas vezes enquanto tentava realizar meu desejo o mais rápido possível. Mas quanto mais rápido eu faço isso mais quente meu corpo se torna e mais rápido meu coração bate.

O nível de medo que sinto é o mesmo de excitação quando penso que esse cara está parado bem atrás dessa porta onde estou apoiado.

O que eu deveria fazer? Eu quero que Ae me abrace sem roupa agora …

– O que está acontecendo? Abra a droga dessa porta, agora!!!

– Eu estou bem, Khrub … Ae … – Eu devo ter soado bem excitado, mas não quero que Ae me veja fazendo algo assim dentro do banheiro. Eu não quero que ele saiba que só o fato dele estar comigo no mesmo quarto já me faz querer ele tanto assim.

É por isso que eu tenho que terminar … Para proteger ele da minha perversão.

Repito o que disse um tempo atrás.

– Ae … Não entre …

– Você tem certeza de que está bem?

– Khrub … – Eu me senti tão aliviado quando ouvi os passos dele se afastando.

Agora eu estou meio agachado, meio sentado no chão com minha calça abaixada até metade do quadril e a camisa aberta, presa somente aos braços. (Algo como os botões completamente abertos e a camisa para trás, preso ao corpo somente pelas mangas). Estou usando a parede para apoiar as costas enquanto tento respirar profundamente.

Para ser honesto, essa não é a primeira vez que faço isso. E todas as vezes que fiz isso tenha apenas uma pessoa em minha mente, a mesma com quem tenho fantasiado até agora. Aquilo me fazia sentir bem culpado, mas eu simplesmente não conseguia parar de fazer isso quando precisava de uma mão para me aliviar (Vocês entenderam kkkk).

– Ah … Estou quase lá … Quase …

Tock! Tock! Tock!

– Mas que inferno está acontecendo? O que você está fazendo aí dentro? Por que eu estou ouvindo essa voz estranha? Abra essa porta, agora!

Ae veio bater na porta para verificar como eu estou mais uma vez. Seu tom alterado me faz congelar bem onde estou.

Eu tranquei a porta …

Oh não …

Eu esqueci de trancar a porta!!!

– Ae … Não!

Tarde demais … A maçaneta foi virada antes que eu pudesse trancar a porta, então a porta foi aberta em um estrondo. Tudo aconteceu em apenas alguns segundos, por isso não pude fazer nada antes de sair do estado de choque.

– Ai’Pete … Você!!!

Eu sei que ele tem várias coisas para me dizer depois de me ver fazendo isso, mas seus olhos estão mais focados na minha posição estranha dentro do banheiro.

Seus olhos se arregalaram em choque.

Ae estava parado, em choque, enquanto sua mão continuava segurando a maçaneta.

Minha nossa … Isso é tão vergonhoso …

A vergonha que sinto aumenta o calor do meu rosto.

Ae tira os olhos do meu rosto, indo para meu corpo e então para aquele ponto entre minhas pernas. Por sorte minha consciência me deu força o suficiente para guardar aquilo de volta na minha calça.

– Você …

– Não olhe para mim agora Ae … Por favor!!! – A imagem de Ae, parado em choque, traz toda a consciência que eu havia perdido ao entrar no banheiro de volta. Não tem qualquer explicação aceitável para o que eu acabei de fazer. Tudo o que eu podia fazer naquele momento era me virar para esconder a protuberância formigante de dentro da minha calça dos olhos dele.

Olhei para baixo, encarando meus joelhos em pura vergonha.

Certo … Eu acabei de ser pego pelo meu namorado enquanto me masturbada com ele no mesmo quarto que eu.

– Você está se masturbando?

– …

Eu honestamente não sei o que dizer para ele. Tudo o que eu fiz foi abraçar meus joelhos enquanto desejava que de alguma forma eu pudesse me transformar em alguma espécie de bactéria para fugir para longe desse banheiro.

– Ai’Pete …

Apertei meus lábios com força. Eu não queria dizer nada para ele então fechei meus olhos com força.

Eu  não quero saber …

Eu não quero ver a reação dele ao me pegar fazendo algo assim.

– Olhe para mim.

Ae me segurou pelos ombros, mas eu só continuei balançando minha cabeça de forma negativa, me recusando a olhar para ele.

Ele aumentou um pouco tom por causa daquilo.

– Eu disse “olhe para mim”!

Eu não sei se fiquei com medo da voz dele ou de qualquer outra coisa, mas eventualmente olhei para ele. Deus! Por favor … Meu rosto está em chamar agora.

Ae segurou minhas bochechas gentilmente.

– Você estava … Se masturbando por minha causa? – Eu quero muito esconder meu rosto, mas as mãos de Ae estão me prendendo e me mantendo focado em seus olhos.

– Eu … Eu … Eu …

De jeito algum eu vou contar que apenas pensar nele me faz desejar muito ele. Antes que eu percebesse Ae aproximou o rosto do meu. Ele estava murmurando algo que eu mal pude entender.

– Você é tão adorável … Tão … Tão fofo …

– Não. Eu não … Eu não tenho qualquer vergonha … Eu fiz isso mesmo que você ainda estivesse aqui, no quarto, e eu …

– Chega de desculpas … Eu não quero mais ouvir isso. Eu só quero te beijar.

Certo, eu não podia mais discutir. Ae já tinha atacado meus lábios antes que eu pudesse dizer mais alguma coisa. Seus olhos estavam olhando para mim durante todo o beijo.

Seus toques estavam me derretendo.

O modo como ele chupava minha língua dentro da minha boca me fazia tremer. Suas mãos começaram o trabalho, me fazendo soltar-se do abraço no qual me coloquei, ele só parou um pouco para voltar a se concentrar no beijo.

Ótimo … Eu estou enlouquecendo sobre seus toques!

A sensação dos seus lábios, sua língua e toda sua boca … Sua língua está brincando com o músculo dentro da minha boca, tentando fazer eles se tornarem um.

Por alguma razão nosso beijo parecia muito doce.

– Uhm … Ahh … – Eu estava gemendo ao mesmo tempo em que minhas mãos se agarravam a camisa de Ae para me apoiar. Eu tinha que segurar ele daquela forma senão eu ia cair no chão, eu me sentia como se estivesse levitando no ar.

Por acaso Ae parou de me beijar?

– Eu posso tirar isso?

A pergunta dele me mata de vergonha, mas mesmo assim concordo com a cabeça.

É tudo o que consigo fazer.

Ao ver minha resposta ele olha para as próprias mãos enquanto as move para os botões da minha calça e as abre uma por uma. Suas mãos estão tremendo. Bem, nós já chegamos tão longe então por que impedir ele de tirar minha calça, certo?

– A … Ae … Por favor, não olhe!

Eu estava implorando para ele não olhar para mim, mas parecia que ele não estava me ouvindo.

Seu novo alvo era meu irmãozinho fora da minha calça, por isso usei ambas as mãos para o cobrir, escondendo minha vergonha dele.

Eu sei, ele já viu isso antes, mas ainda assim … Eu não consigo controlar minha vergonha na frente dele.

Ele é o único capaz de me fazer tremer assim de qualquer forma.

Ae tenta afastar minhas mão para longe do meu irmãozinho.

– Eu quero ver … – Ele diz, movendo minhas mãos para o topo da minha cabeça.

Oh meu Deus …

Eu acabei de me dar conta, eu estou completamente nú na frente dele!

Eu estou completamente sem roupas, o que é pior que o incidente da sala trancado. Agora mesmo toda a minha pele está exposta bem na frente de Ae …

Incluindo meu membro …

Naquele momento eu só tinha uma preocupação.

E se ele simplesmente achar aquilo nojento?

Ae é hétero … E ver o corpo nú de um cara pode não fazer ele sentir nada.

E se …

– Sente aqui …

Eu quase pude sentir minha alma saindo para fora do meu corpo quando Ae me puxou para sentar na bancada do banheiro. Ele pede para eu abrir minhas pernas, o que me faz querer cobrir meu rosto de vergonha mais uma vez. Eu não quero expor mais minha parte diante desse cara que me encara faminto, caso contrário eu posso não sair vivo daqui!

Meu Deus! O que aconteceu comigo?

Sendo honesto, eu já quase perdi minha vergonha agora … A essa altura o sentimento de excitação já se sobrepôs ao sentimento de vergonha na frente de Ae. É como se aquela parte sensível de mim que estivesse escondendo por mais de dezessete anos quisesse se revelar bem na frente dele agora.

– Ai’Pete … Não me olhe dessa forma. Você está me deixando com vergonha também. – Ae me diz isso, mas ele não parece com vergonha do modo como diz que está. Na verdade, ele está se ajoelhando entre meus joelhos e beijando minha boca de forma imparável. Ambas as suas mãos estão acariciando meu peitoral.

– Aaahh … Ae … Não Khrub … – Eu sinto como se estivesse sendo eletrocutado pelos toques dos dedos de Ae nos meus mamilos. Eu nunca ouvi nas aulas de biologia que essa parte do corpo era sensível no corpo dos homens. Como eu saberia? Claro, eu sinto a mesma coisa toda vez que Ae belisca meus mamilos com os dedos da forma mais gentil que um homem bonito como ele consegue fazer.

– Você gosta quando aperto assim?

Minha nossa … Como eu posso responder essa pergunta? Eu nem mesmo consigo dizer qualquer coisa agora!

É normal ser dessa forma? Ou meu corpo não está funcionando direito por algum motivo que não sei?

Suas mãos ainda estão acariciando essa parte do meu peito quando Ae subitamente aproxima seu rosto daquela parte.

– Ahh!!! – Gritei um pouco. Fiquei assustado quando senti seus dentes mordiscando meu mamilo. Ao ouvir meu grito ele se afastou realmente rápido, pergunto para mim, confuso: – Eu te machuquei.

– Só … Só um pouco, Khrub …

– Me desculpe … Eu só vou lamber então …

Fico pensando … Porque é mais vergonhoso quando Ae põe isso em palavras do que quando simplesmente faz sem perguntar? Não me dou ao luxo de dizer nada ou posso acabar desmaiando na frente dele.

Dessa vez Ae tenta consertar seu erro lambendo meu mamilo de forma gentil. Aquilo é tão incrível que não consigo parar de gemer e nem me impedir de agarrar o cabelo de Ae e o puxar mais forte a cada minuto.

– Ahh … Aaahhh …

Eu não conseguia acreditar que minhas reações tinham se tornado apenas gemidos profundos no momento que Ae começou a tocar a parte dura entre minhas pernas.  Tudo o que eu conseguia fazer era esconder meu rosto em suas costas enquanto ele continuava seu trabalho no meu peitoral.

No momento em que ele começou a me masturbar eu senti como se fosse explodir. Era a mesma sensação boa de quando ele fez isso pela primeira vez dentro da sala trancada.

O sentimento de vergonha ainda está aqui, mas está menor agora.

– Ahh!!! Ae … Não … Por favor … Não faça isso … Isso é … Sujo … Ah … Não … – Levantei meu rosto para olhar para o teto enquanto choramingava, porque agora Ae estava usando a boca ao invés da mão para acariciar meu membro.

Eu nunca pensei que alguma vez na vida eu receberia um oral de alguém. Na verdade, eu nunca fiz sexo com ninguém antes. Essa é a primeira vez que alguém toca essa parte de mim e toda vez que Ae usa a língua para me dar prazer eu sinto como se estivesse morrendo.

Um frio passou pela minha espinha e todo meu corpo está tremendo descontroladamente. Tem esse sentimento de felicidade surgindo de dentro de mim toda vez que vejo a pessoa que amo fazendo isso comigo.

Não! Isso já é demais … Essa parte deve ser suja, não é???

Não, não, não … Eu não quero que Ae use sua boca em um lugar sujo … Nunca! É ruim para ele. Pare! Pare! Pare!

Tento empurrar sua costa, mas Ae insiste e continua com o que está fazendo. Ele até mesmo abre mais minhas pernas e, por algum motivo, eu respondo a isso me aproximando mais da beira da banca.

Eu estava respirando tão forte antes de perder toda minha inibição e começar a gemer alto e descontroladamente em puro prazer. Toda e qualquer respiração que eu tomo é tão quente que é como se eu estivesse respirando fogo naquele momento.

– Ae … – Ofego. – Ahh … Já chega … Ae … Eu … Eu … Não … Eu não … – Eu estava agitando minhas mãos freneticamente enquanto ainda tentava empurrar ele. Eu estava para chegar ao fim … Se ele não parar de fazer isso eu posso acabar gozando na boca dele, ou pior … Dentro da boca dele!

Oh não!

Ele para, limpa a boca com as costas da mão, e então pergunta: – Por que? Você não gostou disso?

Do que ele está falando? Como eu poderia não gostar disso? Na verdade, honestamente, eu amei!

Era tão bom!

Eu estava morrendo para contar isso a ele, mas como eu poderia?

Confie em mim. Nada saiu da minha boca, de forma alguma. Aquilo fez Ae ficar preocupado e ao mesmo querer me dar prazer, por isso ele subitamente se moveu para tentar fazer outra coisa.

– Ou … Eu devia fazer isso ao invés daquilo? Eu vi isso na internet.

– Ah!!! N … Não … Ae … Chega … Chega … Por favor … Pare … Por favor …

Eu não sei o que fazer com esse cara. Eu deveria ficar bravo com ele?

Eu não esperava o que ele fez a seguir porque antes que eu percebesse ele já tinha levantado minhas pernas e enfiado a língua no meu … c* …

Caramba! Essa deve ser a parte mais suja do corpo humano, mas ele fez isso mesmo assim! Consegue acreditar nisso? Ae está realmente lambendo meu c*, pelo amor de Deus!!!

Está me enlouquecendo!!!

AAAARRGHHH!!!

Eu nunca toquei essa parte antes, mas … Para meu horror, eu consigo sentir o toque da língua de Ae penetrando essa parte sensível da minha bunda. Está começando a ficar molhado … Sim, ele usa a saliva para lamber até ficar molhado.

Eu continuo dizendo para ele não fazer isso, mas ele continua fazendo isso de novo e de novo sem parar. Cara! Ele está usando a língua para me lamber. E se alguma coisa horrível vir disso???

Como eu vou olhar para o rosto dele depois disso, huh?!

– Pare … Por favor!!! – Eu estava gritando com ele. Minha voz alta fez Ae olhar para mim.

– Você não quer que eu faça isso?

Balanço minha cabeça.

Eu não conseguia pensar em nada para dizer a ele, então tomei fôlego e falei para ele com minha voz quebrada: – N … Não Khrub … Eu quero … Que Ae faça isso … mas … É sujo … – Ofego. – Eu preciso lavar antes … Eu li em um lugar … Que … Eu preciso limpar antes … Eu não quero que … Ae sinta … Nojo …

Certo.

Não é que eu não tenha gostado do que ele fez comigo, mas eu já fiz pesquisas sobre isso. Eu não quero que essa seja a última vez que ele vai fazer isso comigo porque algo nojento aconteceu. Eu quero que ele me experimente limpo ao ponto de ele não ficar cansado de me ter de novo e de novo.

Apenas deveria ser do jeito que deveria ser.

– Eu? Com nojo de você? Diga quem? Eu nunca me senti dessa forma quanto a você Ai’Pete. – Ae disse aquilo com confiança, o que me fez perder alguns de meus medos. Então Ae subitamente se moveu para me abraçar e lentamente conduziu minha mão para tocar sua parte sensível.

Ele moveu o rosto para meu ombro e então murmurou: – Eu não consigo mais me segurar … Eu quero tanto ter você.

Aquilo finalmente me atingiu.

Eu não sabia que Ae me queria tanto quanto eu queria ele. Aquilo me fez abraçar ele de volta e tomar uma decisão.

– Se você … Não sente nojo de mim … Então … Me faça seu … –  Sussurrei em seu ouvido.

Aquilo fez Ae olhar para mim, surpreso.

Bem, não por muito tempo. Só levou um piscar de olhos até ele levar suas mãos para minha parte traseira mais uma vez.

– Aaaahh!!! – Meus Deus! Eu não sei mais se eu tomei a decisão certa no momento em que Ae enfiou o dedo dentro de mim. Isso doí tanto que é como se eu estivesse sendo dividido em dois. Eu tenho que me agarrar aos ombros de Ae, caso contrário eu posso acabar caindo.

Ao mesmo tempo eu estou tentando muito relaxar para diminuir a dor.

Ae olha para mim, em choque. Sua próxima pergunta me faz querer desaparecer imediatamente.

– Você tem certeza que não vai morrer se eu colocar isso dentro de você?

Para ser honesto, eu também estou um pouco preocupado, apesar de nunca ter ouvido falar de um cara gay que morreu por fazer sexo, mas … Será que eu posso mesmo morrer se ele colocar o seu ‘pequeno Ae’ dentro de mim? Eu estou segurando ele agora e posso dizer que não é uma coisa nada pequena. Não é tão longo, mas é bem grosso … Droga, é bem grosso para falar a verdade.

Ele só está usando o dedo nesse momento e já doí tanto … Imagina se ele usar essa coisa?

Deus! Eu posso morrer de tanto gritar!

– Isso não é bom. Apenas um dedo e você já está bem machucado … – Ae murmurou para si mesmo, frustrado. Ele gentilmente disse a si mesmo para parar e tirar o dedo de dentro de mim, então ele beijou minha bochecha e me abraçou.

– Eu vou fazer pesquisar e estudar mais sobre isso … Eu prometo … Eu não vou te machucar da próxima vez.

– Eu … Eu também. Eu não vou … Deixar você na vontade da próxima vez … Eu não vou … – Eu estou tão grato que ele ainda esteja disposto a fazer isso comigo mesmo depois de sua frustração e que ele não queira me machucar. Em troca eu ofereço fazer algo para ele como prêmio.

– Você quer que eu use minha boca em você?

Eu quero fazer a mesma coisa que ele fez agora há pouco … Mas eu não sei … Eu acho que acabei de acionar um botão ou algo assim dentro dele depois de dizer isso.

– Ahh!!!

– Me desculpe, mas eu realmente preciso disso …

Mais uma vez ele me empurra contra a parede. Dessa vez ele me segura contra a parede, de costas, e põe sua parte sensível entre minhas pernas, o que faz meu rosto ficar quente toda vez que ele se esfrega na minha bunda.

Ele não está colocando dentro, apenas esfregando para cima e para baixo na fenda da minha bunda até que eu sinto um líquido escorrer ali.

– Ai’Pete … Eu preciso tanto disso … É tão … Bom …

– Aagh!!! – Todo o meu corpo começa a tremer no momento em que Ae segura meu membro e me masturba intensamente. Ele vai para frente e para trás, deixando todo meu rosto vermelho como uma carne assada. – Eu … Ahh … Ae … Khrub … Eu não … Não consigo mais … Segurar …

Todos os meus músculos ficam tensos no momento em que gozo na parede. Eu estava ofegando muito pesadamente, nem mesmo conseguia me apoiar nas minhas próprias pernas.

Eu não sabia que fazer isso com alguém podia ser tão bom assim, especialmente quando feito com alguém tão bom e bonito quanto Ae. A pessoa de quem acabei de falar ainda está esfregando sua parte atrás de mim, entre minhas pernas.

Tentei apertar mais minhas coxas para ele, então senti a respiração dele nas minhas costas nuas enquanto ele me abraçava por trás.

O som dos gemidos dele faz meu corpo todo se arrepiar. De fato, eu acho que todo meu corpo está pronto para outro round. Eu só preciso segurá-lo.

O que Ae vai pensar se ele descobrir que eu estou ficando excitado apenas por sentir seu membro se esfregando atrás de mim?

Antes eu costumava ficar curioso sobre eu ser gay mesmo ou não, mas agora eu estou bem confiante sobre o que eu sinto, porque é tão bom toda vez que o membro de Ae se move entre minhas pernas. Mas eu não posso dizer a ele que eu quero mais dele. Eu quero tanto o Ae, demais … Tanto que eu não sinto mais vergonha na frente dele … Eu só não quero que ele pense que eu sou um cara super-pervertido que ficou excitado demais depois da primeira vez que um pau se esfregou contra minha bunda.

– Ahh … Ai’Pete … Ughhm … – Ele fecha os olhos bem forte antes de gozar entre minhas pernas. Todo o corpo dele está tremendo da mesma forma que o meu enquanto ele me abraça por trás. – Cara! Isso foi tão incrível!!!

Eu quero tanto dizer a mesma coisa para ele.

Eu também me senti incrível.

Ae descansa o rosto na minha costa mais uma vez, tomando fôlego antes de dizer: – Eu posso tomar banho com você? Eu não posso voltar para o dormitório assim …

Eu acho que não … Se eu tomar banho com ele eu posso acabar ficando excitado outra vez, mas estou tão feliz que ele ainda não planeja ir. Então decidido perguntar a ele: – Você pode passar a noite aqui ao invés disso?

Ae parecia bem surpreso quando me olhou. Ele pensou um pouco antes de finalmente concordar com a cabeça.

–  Ok … Mas você toma banho primeiro … Eu não acho que seja uma boa idéia nós tomarmos banho juntos. Eu posso acabar perdendo o controle e fazendo com você hoje à noite.

Ae me disse aquilo, olhou para o próprio corpo, então a sua volta, e foi para fora do banheiro.

Segurei minhas bochechas com força.

Nós acabamos de …

Eu só conseguia balançar minha cabeça em descrença enquanto caminhava para o chuveiro com as pernas bambas.

Eu continuava me perguntando como eu poderia olhar para ele depois daquilo. Seria tão vergonhoso olhar para ele de agora em diante …

Ponto de vista do Ae

Ai’Pete já está deitado ao meu lado, eu só não sei se ele já está mesmo dormindo ou se está fingindo.

Agora mesmo eu não conseguia dormir. Parece que estou tendo uma overdose depois de beber litros e litros de cafeína.

Depois de tomar banho eu peguei algumas das roupas de Ai’Pete e as vesti, então fui para cama. Ele já estava deitado em um lado da cama, com o a luz dali apagada. De qualquer forma, eu acho que ele ficou um pouco surpreso quando deitei na cama, porque ele puxou e apertou o cobertor bem forte.

Se isso tivesse acontecido mais cedo, eu definitivamente pensaria que ele estava se escondendo de mim. Isso é por causa do que aconteceu mais cedo no banheiro. Eu tenho certeza que nesse instante … Ele está se sentindo tão envergonhado com o que fizemos.

Bem, e também estou com vergonha.

Certo.

Eu nunca fiz sexo com ninguém antes. Esse foi o mais próximo que já cheguei da minha primeira vez … Se eu tivesse tentado ultrapassar aquele limite eu provavelmente teria que beber várias garrafas de whiskey antes ter coragem para o fazer.

Mas quando lembro do rosto de Ai’Pete para mim enquanto gemia meu nome bem alto e do fato de que ele se masturbava e gozava pensando em mim várias vezes … Aquilo era, de alguma forma, tão … Incrível …

Na verdade, eu estava bem chocado quando descobri aquilo da primeira vez, mas então, no momento em que vi ele fazendo isso ele pareceu tão fofo quando tentou se esconder de mim … Foi uma coisa tão adorável de se ver.

Era absolutamente, fodasticamente, completamente adorável.

É por causa disso que o sono me abandonou por completo no momento em que deitei na cama macia. A imagem dele sendo pego enquanto se masturbava ainda estava em minha cabeça. Quando eu me virava eu podia ver suas costas se movendo para cima e para baixo, respirando levemente.

Eu quero tanto ter ele mais uma vez …

Apaguei a luz do meu lado e tentei fechar os olhos para tirar esses pensamentos da minha cabeça, mas toda vez que eu abro meus olhos tudo o que posso ver são suas costas.

Você consegue acreditar nisso? Um cara como eu, que nunca pensou sobre o amor antes, apaixonado por outro cara. Eu tenho certeza … Ai’Pete é o único cara por quem vou sentir isso. Eu não consigo me imaginar amando outra pessoa que não ele.

– Pete … Boa noite …

Finalmente, eu disse aquelas palavras no momento em que tive certeza de que ele estava dormindo.

Então eu fechei meus olhos.

– B-Boa noite, Khrub … – Levou quase cinco minutos para ele dizer isso. O som da voz suave dele me fez sorrir e levar o lençol até o pescoço.

De qualquer forma, eu acho que nós dois vamos ter problemas para dormir hoje. Eu nunca soube antes que fazer sexo tinha o mesmo efeito de vários copos de cafeína. Se era assim, então nós dois com certeza teríamos uma overdose de cafeína.

Eu não sei que horas eu finalmente consegui dormir, mas quando acordei o sol já estava brilhando, o que era bem estranho.

Normalmente eu acordo umas cinco da manhã, mas por algum motivo o sol já tinha nascido quando levantei da cama. Bem, acordar às seis também não é nada mal, eu acho.

*Sons tilintantes*

Hmm? Que barulho é esse?

Ai’Pete já acordou, então esse barulho deve estar vindo de onde ele está.

Saí das cobertas e fui dar uma olhada nele.

A cena fofa que eu vi me fez sorrir.

Ai’Khun’Noo Pete, que não sabe como fazer coisas de casa, está tendo dificuldades para ligar o fogão. Caminhei para mais perto e vi ele fazendo algo na cozinha.

Acho que ele está tentando esquentar água.

Quem em sã consciência não sabe que uma chaleira que foi levada ao fogo vai estar quente? Pete é uma dessas pessoas que não sabe, então quando ele tenta pegar a panela com a mão ele acaba queimando os dedos e deixa o negócio cair no chão, só aí ele vai procurar as luvas.

Olho para mesa e vejo vários ingredientes que Par’Jew separou para seu Khun’Noo espalhadas ali por cima.

Cocei a cabeça, olhando para ele com diversão.

Ele está cozinhando alguma coisa ou destruindo a cozinha?

– Está fazendo o que?

– !!!

Certo … Pete derrubou a chaleira no chão de novo. Ele está olhando para mim com o rosto todo vermelho.

– A … Ae … Já acordou? – Acho que ele está tentando evitar meu olhar, por isso me aproximo mais para ver o que ele está fazendo.

– Você está tentando fazer sopa de arroz com camarão?

– Err … Khrub …

Hmm … Agora eu entendo o que Par’Jew quis dizer ontem quando disse “camarão sem cabeça e coroa não é camarão”.

Estou vendo isso agora com meus próprios olhos, mas não vou provocar ele por causa disso. Sorrio para ele e vou lavar minhas mãos na pia.

– Eu limpo o camarão para você, pode fazer outra coisa.

– Mas eles não estão mais bonitos, vamos pegar outros. Par’Jew estocou vários deles na geladeira ontem. – Ele diz aquilo de forma clara. Ele deve estar tão envergonhado por não saber como tratar o camarão.

Agito as mãos e começo a limpar os camarões, na verdade eles já estão quase todos bem limpos.

– Eles podem não estar mais bonitos, mas ainda são comestíveis. Você me conhece, eu não desperdiço coisas, lembra? – Estou tentando não rir de suas ações adoráveis.

É realmente fofo. O Jovem Mestre está tentando cozinhar para mim, e quanto mais eu olho para ele cortando os vegetais de forma desajeitada mais eu acho ele adorável.

É engraçado como cozinhar um simples macarrão instantâneo com cubos de sabor leva uma hora. Não estou reclamando. Estou apenas observando o quanto Ai’Pete está realmente se esforçando para fazer isso para mim.

Eu tenho certeza de que ele está fazendo isso para me fazer feliz.

Acho que está tudo bem pular minha corrida matinal hoje.

– Está um pouco salgado, mas fora isso está muito bom. – Eu não estou mentindo. A sopa dele está boa. Se bem que, agora que estou pensando nisso, eu não tenho certeza se a sopa dele está mesmo boa ou se só estou apreciando o fato dele ter preparado isso para mim.

No fim das contas, está surpreendentemente bom.

Bem, o cara que fez isso para mim ainda não consegue me encarar e está concentrado em seus próprios bolinhos de camarão da sopa. Aquilo apenas me fez lembrar da noite passada.

– Não fique com vergonha ou eu vou ficar também.

– Ahm … Eu nao consigo … – Ai’Pete murmura suavemente de seu lugar. Se ele pudesse esconder o rosto dentro daquele bolinho de camarão ele já teria feito isso.

Decido ficar em silêncio depois daquilo.

***

Depois que terminamos, nós demos um tempo e conversamos enquanto lavávamos a louça.

– Da próxima vez que você quiser descascar alguns camarões … Me avise, ok? Só para você saber … Eu gosto de descascar eles também. – Ai’Pete olha para mim por alguns segundos, um pouco confuso, então prossigo: – Noite passada … Você estava tão vermelho quanto um camarão cozido.

Eu fui o único quem disse aquilo para ele, mas também estava profundamente envergonhado.

Ele não disse nada, então continuei lavando a louça em silêncio. Eu continuei quieto durante toda minha estadia ali, então fui trocar minha roupa pelas do dia anterior e fui embora. Ele nem mesmo se despediu de mim. Mas tudo bem. Eu sei que ele ainda está muito envergonhado apenas por olhar seu rosto.

Ai’Pete realmente parecia um camarão cozido. Hahahahaha!

Droga!

Isso deve ser resultado do tanto de tempo que passo com Ai’Pond. Agora estou começando a falar da mesma forma que eu odeio tanto dele.

Eu estava puxando meu cabelo enquanto murmurava coisas para mim mesmo.

Começar a namorar com Ai’Pete estava me fazendo descobrir coisas que eu não sabia sobre mim mesmo.

E acabou que … Eram várias coisas.