Autor: Patrick Rangsimant

Tradutora: Jennifer Neris

Revisão: Equipe Boys Love Brasil

Esta é uma tradução feita pela Equipe Boys Love Brasil da parte da novel que o autor disponibilizou na internet, o restante pode ser encontrado para a compra, até o momento em inglês pela Amazon.

A BLB não contém os direitos autorais da novel nem de seus personagens. Nós não usamos este material para fins lucrativos.

Essa é a história de amor de Mork, que trabalha pilotando um moto táxi em Bangkok, e Tawan, um médico residente no hospital da universidade. Parecia que eles tinham uma chance pequena de se encontrar, ou até de se apaixonar, mas isso aconteceu.

Capítulo 1: Tawan

“Agora é manhã do décimo dia, Tawan”

Não respondo oSenior Por com palavras, apenas assinto e sorrio.

“Bom… Tawan, você está livre?”É claro que eu estou livre, essa manhã eu corri na enfermaria desde as cinco da manhã para finalizar minhas rondas e deixar minha agenda livre, só para ter tempo para o meu querido Por. Confirmo positivamente com a cabeça de novo.

“Vamos tomar um café, então. É por minha conta.”

Concordo novamente e sigo ele até o elevador em frente a enfermaria. Então, ele aperta o botão para descer.

“Então Tawan… você sabe o que vou dizer hoje, né?”

Eu encaro seus olhos enquanto ele se aproxima de mim, nossos narizes estavam quase se encostando quando ele fez a pergunta. Mudo meu olhar para outro ponto qualquer, assentindo lentamente como resposta.

O momento chegou, eu acho.

Um importante momento da minha vida.

Bom… Por onde devo começar?

Vai ser uma história um pouco grande.

Vamos começar contando para você sobre o meu passado com o Por.

Por era um aluno sênior super gatoda Faculdade de Odontologia, enquanto eu estava cursando medicina na universidade. Embora estivéssemos em faculdades diferentes, nossos prédios eram um do lado do outro e sua reputação de beleza extrema circulou dentro do prédio da Faculdade de Medicina. Ele era um cara que eu sempre vi como fora do meu alcance, então quando eu me tornei um aluno do quarto ano e ele se formou saindo para cumprir sua residência, eu perdi minha esperança de um dia ficar com ele. Eu também ouvi rumores de que seu namorado era comissário de bordo.

Foi aí que desisti completamente.

Muitos anos depois, foi minha vez de me graduar e trabalhar como residente. Apesar de algumas pessoas terem passado pela minha vida, nenhuma continuou tempo suficiente para ser considerado um relacionamento real. Médicos residentes tem uma agenda cheia, eu digo a vocês. Nós começamos a trabalhar antes do sol nascer e deixamos o hospital depois do por do sol. Quando estamos de plantão, significa que temos que passar a noite em claro e varar o dia trabalhando até o por do sol de novo.

Nisso se resumiu os meus três anos de residente cheios de conhecimentos eexperiências no cuidado com pacientes, mas também sem nenhuma experiência amorosa ou algum relacionamento. No meu tempo livre eu só dormia e comia. Felizmente, o hospital recentemente instalou um “Parque saudável”, onde as pessoas podem fazer exercícios, e eu me beneficiei sendo arrastado pelos amigos. Caso contrário, teria me tornado tão gorducho que teria que ir ver os pacientes rolando pelo hospital.

Depois de três anos da minha vida como residente, eu retornei para a cidade para continuar em treinamento para a especialização. E então foi quando nossos caminhos se cruzaram novamente.

“Junior Tawan. Tawan!”

“…..”

“Junior Tawan, você se lembra de mim?”

“…….”

“Sou eu, Senior Por, lembra?”

“…….”

“Nós dois éramos da mesma equipe durante os eventos esportivos da universidade, os jogos de Canine e Syringe. Ah não, você não se lembra de mim? Nós éramos próximos até, você costumava ir na garupa da minha bike quando eu estava andando com ela no campus.”

Assenti meio rápido. Não porque eu não me lembrava, mas sim por estar nervoso. E quem não ficaria? Ele me reconheceu. Era para eu estar perguntando se ele ainda se lembrava de mim.

Ao invés disso, foi ele quem atravessou cerca de quarenta ou cinquenta novos internos em minha direção. Como eu não poderia estar feliz e nervoso? Eu congelei no lugar até Nádia, meu melhor amigo, cutucou meu cotovelo e só então minha alma voltou para o corpo.

“Um… Senior Por, você está trabalhando aqui?”

“É, eu sou omédico da casa. Sou velho, hahahah.”

“Claro que não, você não é velho! Não mudou nada desde os anos de faculdade.”

“Sério? Eu não mudei nada? Nossa, obrigado. Mas…”

Ele parou rapidamente antes de me dar um gentil sorriso.

“Mas o Tawanmudou bastante. Você está muito mais charmoso do que era antes.”

Nesse momento, eu estava tão atrapalhado que não sabia o que fazer. Meu corpo estava imóvel e minha cara estava séria, mas meu coração já estava pulando de alegria. Parecia que na minha cabeça estavam acontecendo três festivais: Obon, Songkran e o Ano Novo Chinês, todos ao mesmo tempo.

“Na verdade, eu não sou da equipe da casa na divisão médica, mas eles reuniram todos aqui para dar boas vindas aos novos internos, estou feliz que nos encontramos de novo. Eu te reconheci de longe, mas não tive certeza, tive que me aproximar para ver melhor. E também por você estar tão bonito agora, Tawan.”

“Heeyyy, eu estou em pé bem aqui também, Senior Por. Como você só reconheceu o Tawan? E eu? Você se lembra de mim?”

Disse o meu melhor amigoNádia, cuja existência tinha sido completamente ignorada por alguns instantes.

“Oh, olá Junior…” o Senior bonitão semicerrou os olhos para ler o nome no uniforme, nas costas de Nádia. “Junior Warut, sim claro, eu me lembro de você. Sabia que você parecia familiar.”

“Naaaayyy, Senior Por, não me chame pelo meu nome real. Eu sou Nádia. Na verdade meu apelido é Not, mas uma cartomante me disse que o nome Not não é auspicioso e não atrairia homens, então eu mudei para Nádia.”

“Hhahahah! Essa foi uma ideia brilhante, Junior N…, uh, Nádia!”

Havia uma atmosfera de dúvida antes de ele chamar meu amigo de Nádia. Honestamente, apesar disso, eu não o culpo. Eu compartilhava a mesma duvida, igualmente.

Senior Por se virou para mim novamente.

“Estou indo para a clínica odontológica agora. Em qual enfermaria você está?”

Eu pensei por alguns instantes. Era o primeiro dia e as orientações já haviam acabado. Eu não tinha explorado e nem procurado minha enfermaria, então não consegui me lembrar direito. “Um… Medicina Interna, ala regular feminina Nº2.” Deve ser isso… Eu espero.

Ele assentiu. “Ah… então vocêestá indo para enfermaria! Estará livre ao meio dia, então? Se você estiver livre, vou te chamar para almoçar.”

Eu sacudi minha cabeça. “Eu não sei qual é minha escala de trabalho ainda. Não sei se terá muitos pacientes. Eu também não tenho nenhuma nota de serviço. E ainda não peguei minhas obrigações de transferência.”

Ele sacou do bolso de sua calça um celular.

“Você pode me passar o seu número e LINE? Assim nós podemos conversar.”

Depois de adicionar meu contato, o charmoso sênior sorriu gentilmente de novo antes de subir em uma escada rolante para o segundo andar do hospital. Eu o segui com os meus olhos até encontrar o departamento de odontologia. Bom! Pelo menos agora sei onde ele trabalha.

“Como? Quando? Por quê?! O que acabou de acontecer? Desde quando você é todo amiguinho da estrela dos dentes, tipo o Senior Por?”

Nádia me cutucou novamente com o cotovelo.

“Eu costumava arrastar asa pra ele. Nós nos aproximamos… durante os eventos esportivos.”

Eu virei para responder, ainda me sentindo flutuando nas nuvens. O anjo o qual eu só podia cobiçar de longe na verdade se lembrou de mim e disse que eu era bonito.

Tudo aconteceu em um piscar de olhos e ele ainda me perguntou pelo meu número e LINE. Eu não estava sonhando, estava?

“Arrastar a asa, huh? Essa expressão é tão velha que eu já havia esquecido que existia!”

Nádia revirou os olhos, expressando um desgosto frívolo em relação a mim.

Beep… uma notificação de mensagem me fez olhar o telefone.

A mensagem era um ursinho marrom com olhos de coração, mandado pelo Por.

“Estou feliz que nos encontramos novamente, Tawan. Espero nos aproximarmos mais.”

“Nossa, meu Deus! Olha só pra você, sorrindo de orelha a orelha. Hey, vamos indo para nossas alas para começar a trabalhar. Você, para a enfermaria, e eu, para a ala pediátrica. Não se atreva a ficar deslumbrado de mais por causa dele e se esquecer de mim. “ Nádia saiu desfilando, me arrastando, ainda em transe, para o elevador do lobby para começarmos nossa rotina diária como médicos internos.

Parece que… meus três anos de treinamento aqui produzirão algo além da formação.

…………….

“Hey,Tawan. Você está solteiro?”

Meu querido Senior me perguntou quando estávamos no meio da refeição.

Depois de três meses sendo interno eu comecei a ficar mais acostumado ao trabalho e ao hospital, incluindo a árdua escalação de trabalho e estudos, e ao mesmo tempo aumentando meu nível de intimidade com ele.

Nós não jantamos juntos com frequência.Devido a nossa escalação agitada, eu como um médico da casa e ele como dentista palestrante foi quase impossível termos tempo de almoçarmos juntos.

A única chance que tivemos foi à tarde, depois das 18h, quando os horários de atendimento da clinica odontológica terminam e eu finalizo as minhas obrigações. Nos dias em que termino minha função e ele não precisa ficar depois do horário, nós jantamos juntos, caso contrário eu janto com o Nádia.

Na verdade, hoje eu tinha um jantar marcado com Nádia, porque Por foi escalado para continuar depois do horário na clínica. Porém, às 18h ele apareceu na frente da minha ala para me pegar, dizendo que tinha trocado sua escalação com alguém, pois queria jantar comigo. Então telefonei para Nádia para cancelar nosso jantar e desci para ter um jantar simples na cafeteria do hospital.

“Por que você pergunta?”

Ele sabia que eu não estava tendo nada com ninguém, mas mesmo assim ele perguntou e então eu entendi o motivo. Decidi testa-lo fazendo outra pergunta. Você pode achar isso velho e chato, mas acredite em mim, isso é como se fosse um jogo de gato e rato. Eu não consigo explicar o porquê, mas sinto que isso faz parte de flertar e ser flertado.

“Bom, porque eu fiquei curioso sobre isso.”

“E você, está solteiro?”

“… Eu terminei com meu namorado faz um tempo.”

Eu também já sabia que ele tinha terminado com seu namorado. Na sua conta do facebook, seu status estava como solteiro. Antes indicava que ele estava em um relacionamento. Eu não dei muita importância, então não me levem a mal. Eu não sou um stalker. Eu só estava o admirando, e checar seu facebook foi algo natural… Não foi?

“Isso é perfeito. Eu estou solteiro, e você também.”

Ele disse e sorriu sem mais nenhum comentário.

“Por que isso é perfeito?”

Perguntei inocentemente.

Você sabe qual é o melhor momento em um relacionamento?

Eu te digo,é o momento em que ambos flertam, cada um sabendo que a outra parte se sente atraída, mas ainda não chegaram ao ponto de perguntar. Não, não tente argumentar comigo. Apenas pare e olhe para suas experiências passadas. Pense direito, e você vai perceber que o que eu disse é verdade.

Nessa altura, Por e eu estávamos nesse momento do relacionamento.

“Você ter terminado com o seu namorado deve ser contado como uma coisa ruim, eu acho. E eu sendo solteiro, sem ninguém me chateado, combinando com a sua situação, parece ser uma coisa infeliz.”

Bah….tenho que admitir que sem querer eu dificultei a situação, florescendo com uma dose de provocação para obter a declaração crucial dele.

“Bem…” ele diminuiu o tom de voz e se abaixou para pegar um envelope marrom, similar aqueles envelopes que usamos para documentos oficiais, e entregou na minha mão. “Aqui, quero que você guarde este envelope,Tawan.”

“Hmm? O que é isso? Eu peguei o envelope e comecei a abrir.

“Ainda não abra, deixe me explicar primeiro.”Por chegou mais perto e colocou sua mão sobre a minha.

“Eu coloquei nove envelopes com cartas dentro, cada uma tem um número. Eu quero que você abra e leia uma carta por dia. Você não deve abrir mais de uma carta por dia. Não se esqueça. Uma carta por dia.”

Eu espiei dentro do envelope marrom. Dentro havia mesmo nove envelopes brancos, cada um com um número no topo. Eu ergui o olhar e encontrei os olhos dele.

“Durante os próximos nove dias, não vamos nos ver. Eu quero que você tenha tempo para ler e pensar sobre isso com cuidado. Então, na manhã do décimo dia, quando todas as cartas estiverem lidas, eu vou ir ao seu encontro.”

Na verdade, eu realmente queria deixar escapar que não precisava desses nove envelopes, e não precisava esperar até a manhã do décimo diatambém. Eu meio que sabia o que o meu bonitão tinha a dizer, e minha resposta era sim. Nós não tínhamos que esperar os nove dias. Se nós dois tínhamos sentimentos um pelo outro, esses 9 ou 10 dias extras não eram necessários.

Mas cara… se essa era a intenção dele, seu jeito de me pedir em namoro, e seu eu quisesse ser seu namorado, ser parte de sua vida, então eu teria que cooperar e fazer do jeito que ele pediu. Além do mais, seria bem romântico abrir uma carta por dia.

Depois de chegar a essa conclusão, eu sorri e assenti pra ele.

“Eu preciso ir. Abra o primeiro envelope depois de eu ir. Vejo você no décimo dia!”

Então, ele levantou e deixou a mesa. Eu esperei até ele sair pela porta da cafeteria para abrir o envelope e ler a carta.

“Eu gosto de você, Tawan. E estou feliz que nos encontramos de novo.”

Se eu não estivesse no meio da cafeteria, eu teria me levantado e dançado. Por sorte, minha mente ainda tem sanidade e meu corpo já estava cansado depois de trabalhar na enfermaria o dia todo.

Eu virei o papel ao contrário e não havia nada atrás. “São só duas frases para o primeiro dia, huh?” Murmurei para mim mesmo antes de guardar a carta em seu envelope e depois retorna-la ao envelope marrom. Uma parte de mim queria abrir todas as nove cartas de uma vez… mas não, eu já tinha dado a ele minha palavra.

Ok, que assim seja.

Eu já tinha esperado por ele todos esses anos.

Só mais alguns dias não era nada, né?

………..

Dez dias significam um terço de um mês.

Que significam 240 horas.

Que também significam 14.400 minutos.

E agora eu estou com preguiça de converter isso para segundos.

O que eu quero dizer é que era um tempo longo e curto ao mesmo tempo. Primeiramente, quando Por disse que não veríamos um ao outro enquanto eu estivesse com as cartas para ler, e então ele viria ao meu encontro no décimo dia, eu imaginei que seriam longos dez dias porque eu teria que esperar.

Você deve ter ouvido o que dizem por aí, quando estamos esperando, o tempo tende a passar mais devagar. Isso foi o que eu pensei, que esses dez dias seriam uma tortura terrível, porque nós nos encontrávamos quase todos os dias o nos falávamos todo dia a noite. Mas com as leis que ele determinou com o período de leitura da carta, não tinha encontro, não tinha mensagens e não tinha conversas até o décimo dia.

Na verdade, apesar disso, passou bem rápido.

O tempo voou e de repente agora já era o décimo dia.

Eu sentei no balcão da Enfermaria feminina, na área médica de internos, trazendo comigo todas as nove cartas para reler na ordem em que ele especificou.

Primeiro dia

“Eu gosto de você, Tawan. Eu estou feliz que nos encontramos de novo.”

Segundo dia

“De volta ao passado, talvez porque nós só nos encontramos durante os eventos esportivos, eu via você só como um estudante júnior bonito.”

Terceiro dia

“Então, eu tinha perdido uma oportunidade muito boa. L O erro foi meu.”

Quarto dia

“Felizmente, nós nos encontramos novamente na hora certa. J Nós dois estamos solteiros e desimpedidos.”

Quinto dia

“Sabia que nos últimos três meses você tem feito meus dias melhores? J”

Sexto dia

“Você me fez tão feliz que levou embora toda a tristeza que eu costumava sentir. Muito obrigada por voltar para minha vida.”

Sétimo dia

“Dizem que uma coisa boa dificilmente acontece na nossa vida, então quando acontece, temos que correr e agarrar antes que escape entre os dedos.”

Oitavo dia

“Eu concordo totalmente. E dessa vez eu não vou deixar uma coisa boa escapar pelos meus dedos de novo.”

Nono dia

“Tawan, você sabe… você sabe o que vou te dizer amanhã, certo?”

E então …o décimo dia chegou.

“Bom dia, Tawan.”

Eu olhei por cima da pilha de cartas. Ele entrou pela porta da enfermaria e foi direto a mim. Talvez seja só minha imaginação, mas ele parece estar mais bonito que nunca. Ou talvez seja porque nós não nos vemoshá muitos dias e estou com saudades dele, isso fazele parecer ainda mais gato aos meus olhos.

“Hoje é a manhã do décimo dia, Tawan.”

Não o respondo com palavras, apenas assinto e sorrio. Eu sinto algo em sua voz que me faz pensar que ele está tão tenso quanto eu.

“Bem… Tawan, você está livre?”

É claro que eu estou livre, essa manhã eu corri na enfermaria desde as cinco da manhã para finalizar minhas rondas e deixar minha agenda livresó para ter tempo para o meu querido Por. Confirmo positivamente balançando a cabeça, notando o leve cheiro de seu perfume habitual, Davidoff Cool Water. Estou acostumado a esse aroma porque ele usa regularmente, mas eu não sei o motivo de hoje parecer especialmente agradável.

“Vamos tomar café então. É por minha conta.”

Concordo novamente e sigo ele até o elevador em frente a enfermaria. Então ele aperta o botão para descer.

“Então Tawan,… você sabe o que vou dizer hoje, né?”

Eu encaro seus olhos enquanto ele se aproxima de mim, nossos narizes já estavam quase se encostando quando ele fez a pergunta.  O cheiro de seu perfume se torna mais notável quando a lacuna entre nós se fecha.

 Mudo meu olhar para outro ponto qualquer, assentindo lentamente como resposta.

“Uh… Quero um copo de café primeiro. Eu estou… meio sonolento, hahah.”

Eu deveria ter falado também que estava tão empolgado que não consegui dormir. Eu fiquei olhando para o relógio, desejando que a manhã chegasse rapidamente para que eu pudesse encontrar meu querido Por. Eu acabei deixando o dormitório dos residentes antes das 5h, pois se não conseguia dormir de qualquer maneira, continuar na cama seria perda de tempo. Eu preferi me levantar e fazer minhas rondas na enfermaria.

Mas quando o sol começou a raiar, minha falta de sono começou a mostrar seus efeitos.

“Um Americano gelado para mim. Grande, por favor.”

Eu entro na cafeteria e vou direto ao balcão do bar.

“Café aulait, por favor.”

Mesmo tendo ouvido isso varias vezes antes, eu continuo tendo que me acostumar em como Por pede seu Latte. Ele chama de Café aulait porque é um habito antigo de quando ele estudou fora. Ele disse que a cafeína tem um efeito diurético, que causa uma perda de cálcio no corpo, então nós devemos tomar um pouco de leite para contrabalancear essa perda.

Assim que pegamos nosso café, olhamos para os assentos do canto. Ainda é cedo e há alguns clientes. O café tem um ambiente calmo, o único som que se ouvia era do vapor da máquina de café como uma leve trilha sonora de fundo. O forte aroma da cafeína tomava conta de todo ar.

“Tawan, você sabe o que vou perguntar?”

Eu ainda não tinha tomado um gole do meu café, mas já sentia meu coração acelerando. Quando Por repete a pergunta, eu me mantenho de cabeça baixa e não dou nenhuma resposta, não assenti e nem sequer mexi a cabeça. Ele se aproxima para tocar as costas da minha mão e quando vê que eu não afasto, ele muda e segura minhas duas mãos.

“Você pode olhar pra mim, por favor? Me de um ânimo. Eu estou envergonhado, sabia?”

Mesmo ele estando nervoso, ele tinha um tom de humor e atrevimento em sua voz. Isso me ajudou a aliviar um pouco da minha timideze me fez conseguir erguer o olhar até encontrar o dele.

“Na noite passada eu pensei cuidadosamente em um discurso longo para hoje, em como persuadi-lo, como começar, e em como finalizar de uma forma romântica.” Ele pausa, respirandofundo e soltando lentamente o ar.

“Mas eu acho que isso soa forçado e desnecessário. Se estamos para iniciar um relacionamento com alguém, nós temos que fazer isso de forma clara e direta, você não acha?”

Tirando a falta de assentimento, eu acredito que meus olhos estão dando a ele uma aceitação óbvia.

“Nos últimos nove dias, eu me afastei porque queria saber como eu me sentiria não tendo você do meu lado por vários dias. Além do mais, eu queria que você tivesse um tempo pra você examinar seus sentimentos sobre nós. Nós somos adultos. Nós não vamos só nos iludir sem levar nada a sério. Nós vamos nos comprometer com a finalidade de um relacionamento longo, um parceiro para a vida.”

“Tawan… quer ser meu namorado?”

Seu discurso de “proposta do acordo” foi curto, firme, e direto ao ponto, assim como ele prometeu. Sem rodeios. Sem qualquer persuasão.

E desde que sua pergunta foi tão sincera e decisiva, a resposta deveria ser sincera e decisiva também. Eu lentamente assinto e deixo um sorriso florescer no meu rosto.

“Sim, eu adoraria ser seu namorado, Senior Por.”

Se esse era um conto de fadas ou um livro de Shakespeare, esse seria o fim da história, e a tela estaria apresentando uma mensagem elegante como: “A jornada acaba quando os amantes estão reunidos.” Antes de ficar escuro e subir os créditos finais.

Talvez por causa disso não ser um conto de fadas, e nem um livro de Shakespeare, esse é só o começo do capítulo.

Nós simplesmente mudamos de uma jornada sozinha para uma jornada com um companheiro.

E agora…

Eu tenho o Senior Por na minha jornada.

Notas de rodapé

Senior Por – em tailandês, é uma designação de proximidade, termo usado para identificar um irmão mais velho ou um primo, ou uma pessoa mais velha próxima do narrador. Pode ser aplicado na frente do nome ou usado como um pronome independente. No script original, Tawan sempre se refere a Por como “Pi Por”.

Médico interno ou período de internato – É um período em que os médicos pós-graduados têm práticas de campo reais (geralmente dura três anos na Tailândia, mas no Brasil pode durar de cinco a sete anos, quando se inclui a especialização), antes de retornarem para o ambiente acadêmico e continuar sua formação em um programa de residência na especialidade escolhida.